sexta-feira, 23 de abril de 2010

Gilmar Mendes enrola e não responde

Foto:Google/ relatividade.wordpress.com

Gilmar: "Já Vai Tarde"




Gilmar Mendes não responde aos internautas, enrola.

Gilmar Mendes se embaraçou todo para responder algumas perguntas dos internautas em entrevista pela internet - TV Justiça, na sexta feira (16). O internauta chamado Fonginc pergunta: “ O STF não deveria punir criminosos como Daniel Dantas ao invés de soltá-lo diversas vezes? O CNJ não deveria garantir o bom funcionamento da justiça, ao invés de perseguir juízes que prendem banqueiros? Ele tentou justificar com suposições subjetivas em relação a outros habeas corpus concedido pelo STF. Conclusão: Ele não soube responder, principalmente sobre provas de subornos de um milhão de reias entrega a PF, na época transmitida em rede nacional, colocado pelo internauta Mário Ítalo -RJ. O internauta Paulo de Salvador pergunta: O Sr. Concedeu dois habeas corpus a Daniel Dantas em 48 horas, desrespeitando seu colega, o juiz Fausto De Sanctis. Esse fato foi criticado por colegas seus do STF, pela população e até pela Associação do Magistrados. Será que só o senhor estar certo?” Novamente ele tentar retificar de que não houve reclamação e nem crítica. Como foram várias perguntas respondidas de uma vez, Gilmar Mendes sai de fininho colocando outros assuntos impertinentes desviando o teor da resposta. Como ele se despede nesta sexta, 23, “já vai tarde”. Não fará falta aos tribunais do páis, muito menos a sociedade que almeja por uma justiça melhor. Pois ele se despede hoje, sexta -feira (23). Esse abominável deixa a cadeira do STF para sempre.

“Desde 2008, enquanto Gilmar esteve à frente do STF, uma série de decisões tomadas deixaram claro que critérios técnicos foram preteridos em função de outros, no mínimo escusos”, registra a nota distribuída pelo GT Coordenação Nacional da Campanha em Defesa da Profissão às entidades, profissionais, professores e estudantes que apóiam o movimento. “Sob sua gestão, o Supremo também aboliu a Lei de Imprensa, transformando o Brasil no único país do mundo sem regulação para o setor. E além de dar declarações que extrapolavam suas atribuições, libertar o banqueiro Daniel Dantas e criminalizar os movimentos sociais, o presidente do STF foi o principal responsável pela derrubada da exigência do diploma para o exercício do jornalismo, em julgamento realizado em 17 de junho de 2009”. (Texto transcrito da FENAJ/22-2010).

Nenhum comentário: