quarta-feira, 11 de abril de 2012

É NORMAL ESPERAR POR ATENDIMENTO NO SÃO RAFAEL POR MAIS DE 10 HORAS

Um verdadeiro descaso com o paciente conveniado 
Foto; Divulgação Google


Quando se comenta sobre o atendimento da saúde do país, logo lembramos do SUS. Mas esquecemos de alguns hospitais renomado como o São Rafael que deixa o paciente que procura a emergência sentindo-se mal, e é atendido no prazo de 10 horas. Foi o que ocorreu com idosa Dalva Freitas, 78 anos, que sentia muitas dores e procurou aquele hospital, ontem (10), pelo dia e noite..

O paciente passou por uma “via crucis”. Dona Dalva que é diabética e sofre de pressão alta chegou as 10h45 e foi atendida em torno de 15 minutos passando pela triagem. Esperou mais duas horas para avaliação; depois mais três horas para ser medicada,; mais três para a reavaliação dos exames, sendo que, o resultado da urina demorou mais de duas horas como afirma a filha Dilma Freitas que acompanhou durante todo dia, passando pela manhã, tarde e noite trocando de lugar com a sua irmã que chegara mais cedo . Ás 19h40.Ela foi atendida pelo médico que que acabara de chegar DR. Bruno Silva e dispensada sem comer nada só esperando algum médico dar o resultado dos exames.

A filha Dilma Freitas comenta que fez exames pela manhã, neste mesmo dia, na Clínica Clibem no Campo da Pólvora pelo SUS marcada para ás 5h40 e ás 6h10 foi atendida. Contrário da emergência do Hospital São Rafael reclamavam como Dona Aline Azevedo, 42 anos, moradora do bairro de Amaralina, mãe de Gustavo Azevedo, 22 anos, que o levou para a emergência com fortes dores de cabeça e febre com suspeita de dengue. O Jônatas dos Santos, 22 anos , morador do município de Simões Filho afirmou que tinha comparecido por três vezes na emergência com dores de cabeça e febre e não tinha feito os exames. “Não sei o que sinto, eles ainda nem me fizeram os exames”, comentou. Alguns pacientes conveniados pela Petrobras comentavam pedir descredenciamento do São Rafael devido ao péssimo atendimento. Alguns funcionários do hospital afirmaram ser normal esperar tantas horas.

Procuramos por um responsável pelo caos e não se encontrava ninguém para responder sobre o absurdo. Havia os assistentes administrativos que davam plantão naquele momento e dizia responsável pela parte administrativa. Mas o médico Bruno Silva que atendera dona Dalva afirmou que o hospital “anda cheio que há muitos pacientes para serem atendidos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Não é de agora que ouço algumas pessoas falando do atendimento , o descaso com saúde está em um todo.
Sem falar no descaso com os idosos, que já contribuiram tanto para na velhice poder desfrutar, de um atendimento digno e com respeito.
As pesoas sofre calado, não tem coragem de públicar suas insatisfações, é preciso fazer o que foi feito agora.
Cadé a prioridade dos idosos? É muito dificil essa dor só quem passa sabe.
Gostei não podemos ficar calados, sendo coniventes com essas atrocidades.